Como escolher um cão de raça

Como escolher um cão de raça

Como escolher um cão de raça?

Veja 6 coisas que você precisa saber para tomar uma boa decisão

  Algumas pessoas preferem adotar um animal para fazer parte da sua família. Na maioria das vezes, isso acontece quando os encontros se transformam em amor à primeira vista em feiras, lojas e eventos dedicados a buscarem novos lares para animais sem donos.

Porém, muitas pessoas têm o sonho de adquirir um exemplar de uma raça específica. E isso, também, é muito bom! Ao levar para casa um animal de raça, você sabe exatamente o que esperar: tamanho, comportamento, temperamento, cuidados necessários etc. Mas – para que o sonho não vire pesadelo – é preciso tomar alguns cuidados.

1. O QUE EU BUSCO E O QUE EU POSSO OFERECER?

  Em primeiro lugar, avalie seu estilo de vida e o tempo que terá disponível para seu novo companheiro. Você é alguém que viaja muito? Quer levar o animal com você e compartilhar essa experiência? Você sai de manhã para trabalhar e só volta à noite, sem ter ninguém em casa para fazer companhia? O animal terá um espaço grande e arejado para correr e brincar durante o dia ou você mora num apartamento?

  Essas são algumas perguntas importantes, já que os animais de raça definida têm comportamentos e temperamentos previsíveis: alguns são mais independentes e conseguem viver bem se tiverem espaço para se exercitarem e criarem suas próprias atividades, por exemplo.

  Depois de traçar o perfil do seu estilo de vida e do ambiente que irá proporcionar ao novo amiguinho, você deve fazer uma pergunta ainda mais importante: eu realmente gosto de cachorro? Se a resposta for SIMMM, com empolgação e sem dúvidas, dê o próximo passo.

  Esse é um compromisso de longo prazo (algumas raças podem viver até quase 20 anos), mas, quando existe amor nessa relação, você vai chegar à conclusão de que o tempo passa rápido e nunca será suficiente!

2. QUAL É A MELHOR RAÇA PRA MIM?

  Chegou a hora de iniciar a pesquisa para identificar quais raças se encaixam melhor no seu estilo de vida e espaço. Alguns animais de grande porte, por exemplo, precisam de espaço compatível: nesse caso, uma casa com quintal é melhor do que um apartamento.

 É preciso considerar também o seu orçamento: animais de grande porte comem mais, as vacinas e vermífugos têm variação de preço de acordo com o peso do animal, os brinquedos, as camas e os utensílios para cães maiores também são mais caros, entre outras coisas.

 Já os animais de pelo liso, por exemplo, exigem cuidados extras com a higiene. Nem sempre você irá conseguir dar banho em casa, é difícil fazer a tosa e a escovação do pelo deve ser frequente.

Estude também sobre o comportamento de cada raça? Algumas naturalmente latem mais, outras latem menos. Algumas são mais agressivas, enquanto outras nunca poderão exercer a função de guarda.

 Algumas raças foras desenvolvidas para fazer companhia e não toleram ficar sozinhas, outras são mais independentes e gostam de tempo a sós (e isso não quer dizer que ele não te ame). Temos raças que, se você deixar, ficam o dia inteiro no seu colo, recebendo carinho. Também existem aquelas que vêm no seu colo apenas para receber seu afago e logo pedem pra descer.

 Pesquise com cuidado o comportamento e perfil da raça que você quer. O conhecimento é a chave para evitar situações imprevistas.

  1. JÁ ESCOLHI! E AGORA?

  Definida a raça, você precisa escolher onde vai adquirir seu novo companheiro. Aqui vale destacar que todos nós somos responsáveis por garantir o bem-estar dos animais, portanto, não compre filhotes em qualquer criador (incentivar o comércio de pessoas que não estão comprometidas com boas práticas de criação é o mesmo que incentivar maus-tratos).

  Existem algumas maneiras para fazer essas escolhas com responsabilidades. Uma delas é procurar os clubes de cinofilia da sua região e pedir ajuda. Esses clubes, normalmente, conhecem os criadores e vão te indicar boas opções.

  A internet também pode te ajudar. Busque por canis especializados na raça que você escolheu. Visite os sites e mídias sociais desses canis, veja as fotos, avalie a estrutura, observe o estado geral das matrizes e dos padreadores. O animal é sincero… você saberá se ele está feliz e bem cuidado.

  Mas atenção: cuidado ao comprar animais anunciados em classificações e sites de e-commerce geral (aqueles que vendem de tudo). Eles costumam a ter preços atrativos, mas a maioria não tem documentação nem investe em qualidade de vida dos animais, por isso, são mais baratos. Não incentive esse tipo de comércio! Além do mais, você corre risco de levar um animal que apenas se “pareça” com a raça que escolheu, mas terá comportamento e temperamento diferentes. Isso vai arruinar seu planejamento e gerar decepção.

  1. É VER, PARA CRER!

Agora que você pesquisou os canis e fez uma lista com os que mais gostou, agende com o criador e vá conhecer pessoalmente as instalações onde seu futuro amigo está

  Os criadores éticos e responsáveis não vou se opor a isso. Pelo contrário, ficarão orgulhosos com sua visita. Observe as instalações e veja se os animais têm espaço amplo e limpo, se conseguem optar por tomar sol ou ficar na sombra e se têm água fresca sempre à disposição

  Olhe com atenção para os animais, veja se estão com saúde aparente boa, se estão limpos e confortáveis. O animal não mente! É muito fácil reconhecer um cãozinho feliz e vem cuidado.

 Aproveite para pedir todo tipo de esclarecimento sobre a raça e os cuidados que você deve ter em cada fase da vida. Peça, por exemplo, informações sobre como alimentar seu novo amigo.

  Lembre-se de que algumas raças são mais propensas a alguns tipos de doenças (pesquise isso quando escolher a raça). Para algumas raças, existem exames que são obrigatórios. Neste caso, é dever do criador te apresentar os exames e os laudos negativos da enfermidade, realizados em matrizes e padreados.

  1. OS CANIS TÊM RESPONSABILIDADES

 Sempre que você compra um animal de raça, espera-se que ele tenha o certificado de pedigree.
Esse é o documento que descreve a linhagem do filhote. Se possível, peça para conhecer o pai e a mãe do animal. Caso não estejam no canil, tente – pelo menos – ver fotos ou vídeos.

  É de fundamental importância que você pergunte sobre o temperamento dos pais, já que eles são transmitidos geneticamente para os filhos. Nessa hora, lembre-se do perfil que você traçou e dê preferência a um filhote que se encaixe nele.

  1. COMPRE, E AGORA?

  Finalmente você realizou o sonho de levar para casa seu futuro melhor amigo! Mas, antes de partir, lembre-se de um último cuidado: peça a carteirinha de vacinação. É de responsabilidade do canil aplicar as primeiras vacinas, vermifugação e fazer exame geral do cãozinho. Exija isso!

  Parabéns! Você agora é o humano de referência na matilha deste cãozinho feliz. Mas lembre-se de que a responsabilidade de cuidar, alimentar, vacinar e manter uma rotinha de acompanhamento médico-veterinário agora é sua.

  Pronto… É a hora de aproveitar com seu novo amigo e colecionar boas histórias!